Frank Mazzoni

Description:

Nome: Frank Mazzoni
Idade: 30
Estado Civil: solteiro
Altura: 1,80
Peso: 100
Cor dos Olhos: castanhos esverdeados
Cor do Cabelo: castanho escuro
Cor da pele: branco
Signo: capricornio
Ocupação: Dom
Empresa: Mazzoni companys
Formação: Engenheiro Mecânico
Comida Preferida: Pizza
Musica: Rock
Cores: vermelho sangue
Temperamento:divertido
Estilo:terno e sobretudo
Religião: bem e mal
Partido Politico:o que pagar mais

Bio:

Minha situação não estava muito boa a alguns anos atras , meu irmão tinha ficado doente e não tínhamos condições de tratar sua doença, eu trabalha em um multi nacional e ela iria volta para seu pais de origem e nos ofereceu uma oportunidade, la ganharíamos mais teríamos alojamentos e refeições, apos conversa com meus pais decido ir ..logo me vejo sentado no aeroporto esperando o embarque, mais isso esta me deixando muito mal , esta parecendo que estou abandonando meu irmão , de fato não gosto de vê-lo nesta situação e horrível mais preciso ir .. logo embarco rumo a Itália.

Ja se passaram quase 5 anos,comecei a fazer faculdade de engenharia mecânica sei que não vim para estudar mais pensei que seria uma boa ideia para poder ganhar um pouco mais, apesar de muito difícil pois ainda não domino a língua italiana direito apesar de sempre estar treinando lendo livros revista reparando no jeito em que as pessoas falam para tentar me adaptar mais fácil, mas por sorte a outros brasileiros por aqui no qual fiz amizade e eles me auxiliam nos estudo, alias quase não tenho falado com minha família a ultima noticia que tive foi que a situação de meu irmão tinha piorado e precisava de mais remédios e dinheiro para compra-los, ao conversa com um colega da faculdade ele disse que me indicaria em um mecânico que ele trabalha, não é o que eu queria mais parece que paga bem.

Já faz alguns meses que trabalho aqui o lugar e bem frequentado quando se entra e quase que se tivesse entrado em um túnel do tempo em colapso aonde o novo e velho coexistem, mais o que chama mais a atenção não é a mecânica que o senhor Vito o dono e sim o Bar que ele montou no fundo a apenas uma porta para entrar e sair, bem rustico posso assim dizer mas um lugar frequentado por pessoas de todos os tipos, políticos , policias, alguns aparentam ser da mafia outro comerciantes e milionários, ao chegar a noite, o senhor Vito pediu que fechássemos a mecânica para ele pois iria ter uma reunião no bar com seus colegas, eu e Johnny meu amigo que me indicou o serviço estávamos fechando o local quando um barulho de dentro do bar nos chama a atenção:

-Bam!! -

saímos correndo em direção ao bar, o que na verdade estava indo contra meus instintos pois eu deveria é ter saído para procurar ajuda na rua ou algo assim ; mais mesmo assim continuei e ao abrirmos a porta nos deparamos com uma cena um homem com uns 50 anos em pé e um revolver e um corpo de um jovem com minha idade aproximadamente com um buraco na testa, a cena era chocante todos que estavam em volta não pareciam assustados ou mesmo preocupados então o velho começou a falar enquanto girava a cabeça olhando a sua volta:

- O que vocês vem ai no chão é meu filho, que por dinheiro decidiu nos trair e passar informações sobre nossa família, aqueles que traem a família não merecem viver -

logo que ele termino de falar seus olhos estavam direcionados a mim e em uma fração de segundo uma reação automática de meu corpo me fez jogar esbarrando em Johnny e o empurrando junto enquanto aquele homem levantava a arma para fazer o disparo contra nos e outro disparo é ouvido!

Bam!!

o silencio toma o local e derrepende outra voz surge e começa a falar:

- Promissor, aprecio o fato de ele ter matado o filho por nossa família, mais aqueles dois ali fora já tenho planos para eles então não quero que ninguém levante as armas para eles a não ser eu ! Capiche!- senhor ita
- Capiche! Senhor ITA! – gritaram em coro
- Vito pegue os garotos e os iniciem na familia ja esta na hora.- ITA
- Claro! como o senhor desejar-

logo apos isso fomos iniciados na família não tínhamos muitas escolhas já tínhamos ouvido demais, porem eles pagavam bem muito bem e estava dando para eu ajudar minha família, quanto ao senhor ita não ouvimos mais sobre ele ou alguém menciona-lo nem mesmo seu rosto eu vi, mais só o seu nome já tinha uma força grande ali, ao terminar nosso treinamento como extorquir, cobrar dividas , bater em alguns vagabundos fomos chamados para o teste final, Johnny já tinha compra seu carro e eu o meu porem eu estava terminando de reforma meu maverick, ele foi com uma arma enquanto eu com minha faca, nos mandaram espera na docas sinceramente não gosto daquele lugar sempre coisa ruins acontecem por ali, apos chegarmos esperamos mais uns 20 minutos e de repente ao mesmo tempo nos dois celulares chega um mensagem:

- O ultimo teste é eliminar seu melhor amigo -

Johnny e eu ficamos assustados aquilo não deveria acontecer ele é que nem um irmão para mim:

- O que vamos fazer – perguntei
- Bem isso é a mafia né, uma hora acabariamos morrendo mesmo -
- poderiamos pegar todo o dinheiro que ja conseguimos e fugir -
- Talvez-

Algo estava errado Johnny estava li do meu lado segurando o revolver com sua mão esquerda e eu do lado com a faca na esquerda apesar de não querermos ficamos em estado de alerta, nunca havia matado ninguém e o primeiro seria o melhor amigo .. aquele sentimento que senti quando sai de casa e deixei meu irmão volto a tona e me decidi! precisava do dinheiro para salvar meu irmão em frações de segundo percebi que Johnny estava levantando o braço para efetuar o tiro e no reflexo bloqueie-o com minha mão direita a arma disparou e o tiro pegou de raspão no meu braço e em uma reação rápida atravessei minha faca em seus pescoço, o sangue jorrava e enquanto ele me olhava um sorriso de sua boca apareceu, juntamento com uma palavra!

- idiota – seu jeito carinhoso de me chamar

passou-se 1 semana apos a morte de Jonny ele teve um enterro digno de um mafioso com o cliche basico de um dia chuvoso, sua familia recebeu todo o dinheiro que ele tinha.

apos isso comecei pegar mais trabalhos e ganhei a confiança dos Dons afiliado a familia, recebo um ligação de um trabalho no qual teria que acompanhar Dom Luca em um evento privado, pego minhas coisas entro em meu Maverick e coloco a fita K7 e um musica que eu não lembrava que tinha começa a tocar.

Robert Jonhson – " I went down to the crossroad Fell down on my knees…"

me encontro com o dom e seguimos para o evento, ao chegar la não havia tantas pessoas, aparentemente apenas outros dons com seus guardas gosta. me encosto em um pilar ao lado do Dom Luca ele começam a falar em outra língua acompanhando os outros que também recitavam algo talvez fosse algo religioso tipo maçons, enfim não me importava apos um tempo começo a ouvi-los cantarolar palavras em coro estranhamente meu nariz começa a escorre sangue me limpo saio de traz do pilar e olho para ver .

o que esta aconteceu em seguida me assusto a cena que vejo é a seguinte; uma garotinha de aproximadamente uns 8 anos com cabelos loiros e olhos com de mel bem claros usando um vestidinho vermelho desbotado mais o que era mais assustador naquela cena " ela esta flutuando" e em cima de uma corpo que parece ser de uma jovem; toda nua a sangue pelo chão contornado aquele corpo; o que aconteceu quando ela apareceu quem matou essa garota de repente a garotinha se vira e me encara nos olhos ! então acordo em minha cama assustado, soando aquilo foi um sonho? olha as mensagens em meu celular ligo para o alguns contatos e ele me informaram que realmente ontem fui acompanhar dom lucas e o trouxe de volta para em seguida ir embora, o que aconteceu? logo em seguida recebo uma ligação de um dos meus subordinados e me avisando que uma família rival estava tentando tomar minha área; chamo mais 3 homens entramos em meu carro coloco outra fita K7 e vamos todos ao local a musica que segue esta é muito boa.

" Company, always on the run Destiny is a rising sun …Bad company, I can’t deny.." – Bad Company

ao chegar no local descemos e vemos uma cena horrível um cena que eu nunca me imaginaria fazendo um chacina de mulheres, crianças, idosos e homens e olhando pra cima uma faixa comemorando uma festa de debutante de 15 anos.

o sangue me ferve perco controle ligo para todos meu contatos e vamos a central da família inimiga com intenção de elimina-los de vez! invadimos o prédio aonde ficavam e começamos a subir andar por andar matando a todos, facadas, tiros, socos e sangue para todos lados quando chego no ultimo andar ao abrir a porta vejo o Dom Carlos em pé como me esperando a cena segue e uma musica começa a aparecer minha cabeça talvez motivado pela raiva começo a caminhar com minha faca em mãos indo na direção dele eu o golpeio com a a faca ele usando a guarda de um boxeador desvia do meu golpe e em seguida recebo um direto de direita em meu nariz fiquei desnorteado e sinto meu fui pego desprevenido aquilo me deixou mais animado aquela musica fica mais intensa e começa a acelerar em seguida vem um golpe de dom Carlos um cruzado eu desvio e o golpeio com minha faca em sua perna ele solta um grito de dor; dou uma trombada para que ele desequilibre e levanto em posição da guarda de um boxeador acertando um upper (gancho) de baixo pra cima fazendo-o corta própria língua ele tenta me golpear com a esquerda eu bloqueio acerto lhe um direto de esquerda e direita .. a musica esta mais rápida aquelas imagens começam a aparecer em minha mente ! os inocente; mais raiva me consome e começo a golpe-a-lo sem parar ele cai ! ainda não acabo o levando puxando pelo cabelo faço ele bater a cabeça na mesa fazendo um corte acima do olho esquerdo dele ele cai ofegante sentado puxo sua cabeça a prenso-a sobre a mesa a musica esta acabando esse é o fim retiro a faca da coxa dele faz um gruindo como de um porco por não ter mais a língua e estar se engasgando com o próprio sangue e cravo minha faca em sua cabeça deixando o corpo preso sobre a mesa, uma cena lamentável mais de alguma forma aquilo me trouxe paz e espero que pra vitimas daquela chacina também.

Apos isso fui promovido a dom, porem fiquem afastado de trabalhos e cuidando de meus
negócios com a família por decisão deles claro me recuperei e minha rotina foi sendo essa.

uma semana depois ao chegar em casa depois de ter trabalho o dia todo no escritório a primeira coisa que me acontece é meu celular tocar, olha para tela e vejo que Sr. Ita ..mais não esta assim em meu celular uso um codinome(Ícaro)para não ficar exposto no caso Ítalo, atendo :

- Pode falar- pergunto já com mais intimidade

- Volte para sua casa – Icaro

- já estou nela – respondo de imediato

- não para sua casa aqui , mais sim, aonde você nasceu quero que chegue por la se instale e espere instruções -

sem entender pergunto:

- aqui eu tenho um grupo para administrar ,negócios o que vou fazer na minha antiga cidade?-

- Já me encarreguei de tudo seus " negócios" cuidarei pessoalmente apenas vá continuara recebendo seus lucros, la você terá que forma uma novo grupo, não me importo que seja apenas se instale la e logo que possível entrarei em contato com mais detalhes- a ligação e cortada depois que a ligação é cortada não tem mais como liga para ele sempre troca de numero bem esperto posso assim dizer.

pego todas minhas coisas estou voltando para uma cidade pequena la não sabem o que sou , acreditam que fui pra faculdade não que isso seja mentira pois sou formado em engenharia química , bons tempo de laboratório o começo de minha carreira; mais sem sabe o por que devo ir fica meio difícil o que planejar irei voltar para minha antiga casa.

a cena segue abro a porta pego minhas duas malas saio tranco e ativo o dispositivo de segurança, desço pelas escadas ouvindo brigas entre casais em um andar , ao chegar ao próximo um drogado em como no canto da escada babando acredito que por metanfetamina alterada vendida por um de meu “ratos” chamo assim pois alem de vender consomem também e não tenho gasto com eles , chega na recepção entrego a chave para o Jorge o porteiro um ex militar anti governo , fiel a mim por eu ter ajudado ele a recupera o prédio da hipoteca.

-Estou indo jorge não sei quando volto, já sabe as regras ninguém entra em meu apartamento, nem suas arrumadeiras, e se entrar não podem mais sair -

sorrindo com cara de quem se sentisse parte de uma mafia e fosse um capanga importante , ate um ponto ele estava certo pois eu era uma mafioso claro não tão exposto , apenas as pessoas suspeitavam que eu fosse mais nunca conseguiam provar , mais Jorge era apenas um “peão” para meu tabuleiro .

- Claro ! Mazzoni se alguém pergunta por seu nome peixei terão o que comer , hahahaha – começar a rir e tossir fortemente com seu meio charuto na boca-

sai pela porta do prédio dou uma ultima olhada para a cidade coloco a malas em meu porta malas , entro no meu Maveric preto fosco e sigo em direção a minha antiga casa, de certo modo eu estava apreensivo pois provavelmente iria rever meu irmão e meu velho amigos que muito tempo não os vejo.

Frank Mazzoni

O Mundo das Trevas nickolaslobo davidermazo